Recentemente a Taylor Momsen deu uma entrevista para a Fine Magazine, e hoje (03/05) eles postaram a continuação desta. Taylor conta sobre como se prepara para os shows, quais são suas obsessões da cultura pop e muito mais. Confiram:

Sobre separar as emoções da escrita com a performance no palco

Isso varia todas as noites, e é o que torna tocar ao vivo tão divertido. Certamente não fico tão conectada como quando estou escrevendo [as canções] porque há todo um elemento de desempenho nisso. A emoção do público e o poder dos amplificadores adiciona isso, então não é o mesmo que sentar dentro de sua própria cabeça torturando-se. Mas ao mesmo tempo, claro, estou cantando as palavras que escrevi, então obviamente há uma conexão com elas.

Sobre a preparação para os shows The Pretty Reckless

Não faço absolutamente nada [para me preparar para os shows]. Eu canto como eu falo, e eu acho que essa é a chave. Eu não estou tentando fazer algo que está acima da minha capacidade ou que não é natural para mim. Eu canto naturalmente, então não há realmente muita preparação. A maior coisa na verdade é que durmo o suficiente naquela noite, para que minha voz não fique muito “arranhada”. Eu praticamente estalo meus dedos e ando no palco, esse é meu ritual pré-show. Eu como uma banana cerca de uma hora antes do show, porque ela não faz você ficar muito cheia, mas tem energia para te sustentar.

Sobre projetos futuros

Acabamos de lançar o vídeo de “Oh My God”. Estamos trabalhando em outros projetos visuais, mas o foco principal agora é fazer turnê e continuar a escrever e voltar ao estúdio mais cedo ou mais tarde… Temos um álbum ao vivo a caminho. Eu não sei quando isso vai acontecer, mas queremos esse álbum ao vivo com certeza, embora eu não saiba quais músicas terão nele. Estamos fazendo um projeto visual para todo o álbum, para que você possa não apenas ouvir [a música], mas também vê-la e compreendê-la em um nível mais profundo. É um álbum complicado e leva algum tempo para o ouvinte se conectar completamente a ele e entendê-lo, porque há vários níveis.

Sobre suas obsessões de cultura pop

Eu amo a série Supernatural e eu estou me atualizando nela. Minha nova obsessão agora é a série “The Mick” com a Kaitlin Olson. Eu acho que é a série mais engraçada que eu vi em muito, muito tempo.

Sobre as semelhanças entre Supernatural e “Take Me Down”

Obviamente a música não é baseada no episódio [Crossroad Blues] de Supernatural, porque esse episódio se baseia no longo e velho conto popular de Robert Johnson, mas a música é baseada na lenda, então é meio engraçado por eu ser fã do show e isso coincidir.

Pensamentos finais?

Que todo mundo ouça o disco. Se você ainda não ouviu, confira e veja se é para você. Estamos muito orgulhosos disso.

_________________

FONTE

TRADUÇÃO POR ONLYTPR

 

 

Anúncios