Taylor Momsen conversou com a Fine Magazine sobre seu novo álbum, como compõe suas músicas, sobre os recordes que a banda quebrou e… Novo projeto? Confiram a tradução:

Se você ligou nas estações de rádio que tocam rock em Julho, você deve ter se encontrado ouvindo um refrão hipnótico sobre uma mulher fazendo um acordo com o diabo. Isso é a história dos cruzamentos – um lugar em Mississipi onde há rumores que músicos venderam suas almas em troca do sucesso – modernizada e trazida para vida pela desafiante “Take Me Down”, que atingiu o topo da Mainstream Rock Charts no verão passado. Há uma grande chama por trás da música, como a cantora de 23 anos, Taylor Momsen, disse, “Quem liga para o que vai acontecer quando eu morrer, contanto que eu esteja viva, tudo o que quero é arrebentar“. Existe mais paixão em sua voz, em sua música, em suas letras do que a maioria dos músicos mostram ao decorrer de suas carreiras, e essa paixão foi o que levou a banda de Taylor Momsen ao sucesso mundial.

Abastecido pelo coração, “Who You Selling For” é uma caminhada por todos os gêneros do rock. O álbum mostra uma variedade de sentimentos e sons ao longo das 12 músicas, levando o ouvinte se embaralhar em pensamentos, passando por esperanças, desesperanças, e ver vários aspectos do rock e blues. Who You Selling For é baseado em emoções contraditórias, mas de acordo com Momsen, “É a só a vida cara (risos). Eu acho por ser humano seus pensamentos variam, suas emoções variam. Com esse álbum, nós tentamos não por limitações em nós mesmos quando se trata sobre escrever. Isso que é tão incrível sobre o rock n roll – é a liberdade!

009.jpgA liberdade é muito presente no primeiro single de Who You Selling For, Take Me Down. Momsen explica, “Take Me Down usa uma guitarra forte, e um vocal forte. Nós tentamos combater aquilo, mas foi impossível. Aquilo foi o primeiro truque de mágica.” Isso deu início para eles começarem a gravar o resto do disco como se estivessem tocando ao vivo. Sem manipulação, sem contratempos, só pura música. “Nós tentamos capturar o verdadeiro elemento humano, para que pudéssemos ouvir a verdadeira pessoa por trás da música“, Momsen diz. “Tudo pode ser manipulado digitalmente agora, mas você perde muito a parte humana fazendo isso… nós queríamos manter isso verdadeiro e “cru”.” Isso é o que separa os álbuns atuais e Who You Selling For; enquanto a maioria dos artistas produzem um som uniforme do começo ao fim, The Pretty Reckless tenta quebrar isso, e mostrar seu verdadeiro som, o que faz os álbuns se tornarem íntimos e pessoais até mesmo para os ouvintes.

Nós temos uma abundância de material, então nós podemos trocar a setlist toda noite“, Momsen explica. “Nós estamos em uma tour longa, a qual nunca estivemos antes, o que permite uma liberdade com a setlist.” Essa nova setlist mistura músicas dos três álbuns, incluindo algumas músicas que eles não tocavam desde sua primeira turnê. “Óbvio que o material recente é o mais legal de tocar para nós“, Momsen adiciona “... mas ao mesmo tempo, nós estamos tocando músicas que não tocávamos fazia tempo, como por exemplo “Light Me Up”, do primeiro álbum. O que é divertido também, porque quase faz a gente se sentir novo de novamente, o que é o legal na música. A sua música muda, conforme você muda.

Mudança e evolução são coisas evidentes no som da The Pretty Reckless, e grande parte disso se deve a mudança e o crescimento da própria Taylor Momsen. A música da banda reflete a mente de Taylor Momsen, então como ela mudou, a banda mudou também. “Escrever e tocar vem de uma longa bagagem de que nós já tínhamos, já que somos velhos e estivemos em tour pelo mundo várias vezes,” Momsen admite. “Isso certamente teve um impacto no meu interior.


Os fãs estão respondendo muito bem a escrita “obscura” de Momsen e ao som em constante mudança da The Pretty Reckless. A banda teve quatro hits em primeiro lugar na Mainstream Rock Charts, por uma banda que tem como sua linha de frente, uma mulher. Enquanto Momsen está empolgada em quebrar recordes – “Isso significa que mais e mais pessoas estão ouvindo a música, e a arte que eu escrevo“, ela brinca – seu foco está em criar músicas de que ela possa sentir orgulho, e não simplesmente estar nas paradas.

De fato, apesar dela possuir uma banda pautada como feminina a deixa feliz, Momsen não liga muito pra isso, ou seja, o grande desequilíbrio de gênero no meio da indústria do rock. “Estamos todos fazendo o mesmo trabalho, então eu não vejo nenhuma diferença“, diz Momsen, falando sobre ser mulher, que é um gênero dominado pelos homens. “Somos todos músicos em uma estrada tentando escrever as melhores músicas que pudermos. Uma boa música é uma boa música, e esperamos que o público goste.

Além de apoiar Who You Selling for com a turnê, Momsen está planejando uma série de projetos secretos que esperamos que sejam lançados em breve. Enquanto a banda está atualmente trabalhando em um álbum ao vivo, The Pretty Reckless também está preparando um novo terreno. “Agora estamos colocando conteúdo visual para o álbum, então além de ouvir a música, você pode vê-la e compreender de um modo mais profundo,” diz Momsen. O projeto não é simplesmente uma coleção de vídeos musicais; e sim tem como destino destacar alguns aspectos do Who You Selling For, mas isso foi tudo que Taylor quis divulgar por enquanto.

Entre a turnê constante e escrever músicas novas, o tempo livre de Momsen é muito curto, mas ela não se incomoda – até mesmo seus poucos momentos de folga estão repletos de criatividade. “Se estou em casa, estou tocando músicas sozinha, e se estou em turnê estou tocando músicas para as pessoas, não há limitações,” admite Momsen. Ainda assim, apesar da paixão pela música, Momsen sempre toma atitudes para garantir a sua sanidade mental. “Eu me isolo das pessoas, sofro novamente, porque a turnê pode se tornar uma bolha. Você pode se perder um pouco. Eu tento me focar de novo antes de voltar para a tempestade.

A tempestade é onde Momsen tem seu sucesso, é evidente pela maturidade constante da banda. O crescimento da The Pretty Reckless de um grupo juvenil e doido para uma banda de rock em camadas, reflete o próprio crescimento de Momsen como artista. Impulsionada por sua paixão e ambição artística, The Pretty Reckless continuará sem dúvida a crescer e evoluir enquanto fizerem música – dado o talento esmagador de Momsen, a banda provavelmente irá enfeitar as ondas no próximos anos. E talvez, com seu trabalho duro, ideias ousadas e paixão para se apresentar, Momsen não terá que vender sua alma na encruzilhada,  afinal. 

——————–

FONTE

TRADUÇÃO POR ONLYTPR

Anúncios